© Tete Silva. Todos os direitos reservados.

O caos e suas abstrações / Chaos and its abstractions

1/8

Na década de 1960 a vertente leste da Serra da Brígida, em Ouro Preto, no estado de Minas Gerais, sofreu grave degradação em consequência da mineração de bauxita.

A atividade mineradora foi realizada sem qualquer preocupação ambiental. O solo fraturado expôs a rocha, deixando uma grande extensão da serra sem cobertura vegetal. A laterita, dura e impermeável, fez do chão da montanha um solo infértil.

A paisagem tornou-se rígida, áspera como metal enferrujado, como um imenso casco de navio carcomido, encalhado no alto da montanha: restos irreconhecíveis, vestígios de um grande acidente ecológico. São esses vestígios que interessam enquanto imagens, o que inclui a ausência tanto dos responsáveis, quanto da cobertura vegetal. A bela palheta de cores terrosas como último campo de batalha.

O local, localizado na região da Cachoeira das Andorinhas, é atualmente área de proteção ambiental. Estudos estão sendo realizados para a recuperação da flora nativa.

 

Marcelo Carvalho

In the 1960s the eastern slope of Serra da Brigida, in Ouro Preto,  Minas Gerais state, suffered severe degradation due to bauxite mining.

Mining activity was conducted without any environmental concern. The fractured soil exposed the rock, leaving the area without any vegetation cover. The laterite, tough and waterproof, made that part of the mountain an infertile soil.

The landscape became rigid, rough as rusted metal, like a huge rotting hull of a ship, stranded on the mountain: unrecognizable remains, traces of a large ecological accident. A beautiful palette of earthy colors, like a last battlefield.

The site, located in the waterfall region of Andorinhas, is currently an environmental protected area. Studies are being carried out for the recovery of the native flora.

 

Marcelo Carvalho

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Flickr Icon