O dia em que meu mundo parou / When my world stood still

1/12

Sou essencialmente uma fotógrafa de rua (ou era?), o que significa dizer que a rua é uma espécie de lar para mim. Na rua eu encontro os dramas humanos, as alegrias e as agruras do cotidiano. Na rua eu me encontro.

Quando o mundo parou meu coração continuou batendo no mesmo compasso das ruas. Desencontrada, por duas semanas não produzi nada, não estudei, nem cuidei das minhas imagens. Ou, de outra forma: produzi, estudei e cuidei de imagens observando minha pequena horta de varanda, tentando confluir no ritmo lento da natureza como quem cuida de si mesma,

Duas semanas depois a realidade entra goela abaixo, exacerbando a melancolia, a saudade do convívio, da rua, do mundo. Esta série traz um pouco desse processo de angustia, mas também de desaceleração que permite olhar tanto para dentro quanto para além de mim.

*** Esta obra foi selecionada pelo Arte como Respiro: Múltiplos Editais de Emergência, do Itaú Cultural.

I am essentially a street photographer (or was I?), which means that or me being on the streets is almost like being at home. In the street I find the human dramas, the joys and the hardships of everyday life. On the street I find myself.

 

When the world stopped, for two weeks I did not shoot a single photo, I did not study, nor did I edit any image. All I did was take care of my balcony plants, as if I were trying to take care of myself thru the slow pace of nature.

 

Two weeks later reality knocked at my door, with all the melancholy of missing people, the streets, the world, brings. These photos are a small part of this anguishing process, but also about the deceleration that allowed me to look not only inside but beyond me.

 

*** This work was selected by Arte como Respiro: Multiple Emergency Calls, by Itaú Cultural.

© Tete Silva. Todos os direitos reservados.

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone